QTC 2014

qtc







  QTC 93 de 14 de Dezembro de 2014 (3,4 MiB, 592 hits)


  QC 92 (866,0 KiB, 502 hits)


  QTC 91 de 30 de novembro de 2014 (998,0 KiB, 473 hits)


  QTC 84 (273,0 KiB, 532 hits)


  QTC 83 (1,3 MiB, 582 hits)


  QTC 82 de 26 de junho de 2014 (363,0 KiB, 537 hits)


  QTC 81 de 21 de setembro de 2014 (1,3 MiB, 593 hits)


  QTC 80 de 14 de setembro de 2014 (653,5 KiB, 671 hits)


  QTC 79 de 07 de setembro de 2014 (2,4 MiB, 518 hits)


  QTC 78 de 31 de AGOSTO de 2014 (724,5 KiB, 497 hits)


  QTC 77 de 24 de Agosto de 2014 (357,0 KiB, 497 hits)


  QTC 75 de 17 de agosto de 2014 (2,2 MiB, 466 hits)


  QTC 74 de 10 de Agosto de 2014 (195,0 KiB, 458 hits)


  QTC 73 de 3 de agosto de 2014 (251,5 KiB, 485 hits)


  QTC 72 (221,7 KiB, 484 hits)


  qtc_71.docx (187,9 KiB, 472 hits)


  QTC 70 (304,2 KiB, 465 hits)


  QTC 69 (207,9 KiB, 495 hits)


  QTC 68 de 29 de junho de 2014 (1,0 MiB, 524 hits)


  QTC 66 de 15 de junho de 2014 (189,0 KiB, 459 hits)


  QTC 65 de 08 de junho de 2014 (210,5 KiB, 478 hits)


  QTC 64 de 01 de junho de 2014 (222,8 KiB, 483 hits)

  qtc 63 (288,0 KiB, 723 hits)

  qtc 62 (280,0 KiB, 636 hits)

  qtc 61 (374,0 KiB, 561 hits)

  qtc 60 (221,5 KiB, 721 hits)

  qtc 59 (226,5 KiB, 575 hits)

  qtc 58 (185,5 KiB, 578 hits)

  qtc 57 (235,0 KiB, 697 hits)

  qtc 56 de 06 de abril 14 (198,5 KiB, 756 hits)

  qtc 55 de 30 de março 14 (197,0 KiB, 593 hits)

  qtc 54 de 23 de março 14 (570,0 KiB, 598 hits)

  qtc 53 de 16 de março 14 (196,0 KiB, 840 hits)

  qtc 052 de 09 de março de 2014 (877,5 KiB, 770 hits)

  qtc 51 de 23 de fevereiro (1,8 MiB, 707 hits)

  qtc 50 de 16 de fevereiro (421,5 KiB, 673 hits)

  qtc 49 de 09 de fevereiro (205,5 KiB, 569 hits)

  QTC 048 de 02 de fevereiro de 2014 (3,7 MiB, 614 hits)

  QTC 47 de 26 de janeiro de 2013 (274,0 KiB, 615 hits)

  QTC 46 de 19 de janeiro de 2013 (204,5 KiB, 600 hits)

  QTC 45 de 12 de janeiro de 2014 (240,0 KiB, 0 hits)

  QTC 44 de 05 de janeiro de 2014 (320,5 KiB, 664 hits)

 

Um comentário em “QTC 2014

  • 12 de julho de 2015 em 18:06
    Permalink

    Meus amigos, gostaria muito pelos comentários hoje a respeito da
    CÓLICA de raiva do Sr. Teles PY6UL, hoje pela manhã no QTC da Labre.

    Fiquei muito emocionado com a narrativa de Paulo Autran, recitando O Na-
    vio Negreiro de poema de Castro Alves.

    Cheguei a comentar emocionado com minha esposa, que tambem acompanhava o QTC o quanto é bonito ser um radioamador com coisas tão interessantes aos domingos. O QTC da Labre da Bahia é rico em informações técnicas e de relatos históricos.

    Caros companheiros, fiquei parado, perplexo… quando o operador Vilar, passou
    a palavra para o Sr. Teles, homem já conhecido pelos seus atos descriminatórios, contra “PU” e “PX”, que por muitas vezes ouvi em outras situações, indignado!

    Tem gente que nem quer ouvir a voz deste sujeito, como seu tipo ditador.

    O dito cidadão, abriu o verbo, contra o pessoal da Labre, pelo que pude entender, eu acho que ele ficou como conselheiro suplente e não compareceu à posse.

    E afirmou – “se eu não estava lá, como foram me dar posse???”

    Mas, Sr. Teles, não daria para o senhor resolver este problema, lá na Labre ou até mesmo por telefone?

    Eu acho que na outra encarnação, o senhor foi o terrível ditador ou mesmo um capitão do ” O NAVIO NEGREIRO”.

    Vide o que ele fez com o Sr. Agmir de Canarana. Só porque o rapaz, pronunciava a palavra “CHARQUE”, quando se referia ao seu locar de sua estação, o humilhante cidadão chamava o mesmo de “SEU SALGADO”, referindo à carne de Charque.

    Meu senhor, por Deus, não seria melhor o senhor usar o telefone e orientar o nobre cavalheiro??? Ele iria ficar muito mais contente e feliz com a sua ajuda.

    Caros amigos, sou funcionário de uma agencia bancaria aqui do interior da Bahia, estava com minha estação montada, só aguardando o tempo, para eu me preparar para eu tirar minha licença e participar orgulhosamente como radioamador,participando das rodadas, principalmente A PATRULHA VERDE E AMARELO e do QTC.

    Depois desta, vou pensar duas vezes se vale a pena conviver com gente deste tipo. Vou colocar tudo à venda e vou voltar para o PX. Dizem que é a faixa da bagunça, mas, pelo mesmos os colegas se respeitam.

    Não vou me identificar como medo de vingança maldita.

    Impressionante, em pleno seculo XXI, ainda existirem este tipo de pessoas…

    Forte 73/88

Deixe uma resposta