Regras para uso de repetidor

A quantidade de repetidoras espalhadas na nossa região é grande, o uso consciente e responsável destes equipamentos é fundamental importância, principalmente no que se refere a técnica, ética operacional e também a conservação dos eletrônicos usados para receber e transmitir 24 horas por dia os comunicados.

Todos sabem que para colocar no ar uma repetidora é muito trabalho, demanda tempo e requer investimento financeiro por parte dos responsáveis, por ser um Radioamador classe A, além da documentação na Anatel ser em seu nome, os mantenedores também compram todo o aparato: antenas, rádios, cabos, conectores, baterias, painéis solares, filtros, torres, e outros materiais referente a sua instalação e operação.

Lembre-se que este material depois de adquirido e configurado, não chegará ao local de implantação pela transportadora, então, as excursões serão frequentes. São inúmeras idas e vindas, subidas e descidas até chegar a parte dos testes, por fim, a liberação do equipamento para uso.

Vamos ao que interessa, sabemos que muitos usuários ainda não se familiarizaram com os equipamentos, bem como a conduta ideal para usufruir, muitos deles esquecem que a repetidora poderá ser desligada remotamente, caso venha ser usada de forma irresponsável e violando as regras de convivência. Claro, todos nós cometemos deslizes, mas repetidamente, é muito frustrante para todos.

Vejamos algumas regras básicas para uso consciente de qualquer repetidor:

  1. Sempre inicie com o prefixo, para não ser confundido com alguém que não seja habilitado. Nada de “bom dia”, “boa tarde” e “boa noite”.

  2. Evite valar com alguém que não seja radioamador, desencorajando a prática por parte dos clandestinos.

  3. Evite “câmbio espada”, transmissões longas além de reduzir a vida útil dos equipamentos é cansativo para quem esta na escuta. Use com moderação, respeitando o tempo da repetidora, evitando seu desligamento automático.

  4. Dê intervalos entre as transmissões para que outros possam participar, ou mesmo algum colega em emergência, possa solicitar ajuda.

  5. Use um vocabulário sadio e de fácil entendimento. Evite palavrões, gírias, termos vulgares e excesso de códigos. Tenha um bom senso e seja educado, pois, o equipamento fica ligado e vários familiares podem ouvir, desacreditando do hobby.

  6. Se você não está bem consigo mesmo, não vá para o rádio destilar ofensas, se tem algo contra alguém, por favor, use o telefone ou fale pessoalmente. Se tiver um assunto específico dê preferência a uma frequência direta.

  7. Portadora? Nem pensar! Além de ser crime, é antiético, atrapalha e incomoda quem esta falando e os que estão na escuta na frequência.

 

 

 

 

Artigo escrito por Natanael Cerqueira – PU6NAT, originalmente para o site da ARFS

YouTube
YouTube
Instagram